o-que-e-tomada-de-decisao

Todos os dias somos levados a tomar decisões, seja no âmbito pessoal ou profissional, das mais simples às mais complexas, urgentes ou não urgentes, importantes ou nem tanto, em nível de direção ou para apertar um parafuso.

O ponto é que decisões precisam ser tomadas, e mais, não basta decidir, é preciso agir, até porque decisão sem ação é o mesmo que nada. O que vocês pensam que mais incomoda a nós e a nossos clientes? Penso que são os problemas. Eles estão sempre acontecendo, não importa o tamanho deles, o importante é encontrar a melhor saída, é trabalhar em um nível de percepção mental que leve a tomada de decisões menos desgastantes e mais assertivas.

Imprescindível também é perceber o problema e agir com brevidade, posto que adiar decisões pode custar caro para a saúde das pessoas e da organização.  No mundo contemporâneo é cada vez mais necessário tomar decisões rápidas e perceber o problema certo, pois a decisão certa para o problema errado pode ser tão nociva quanto que a decisão errada para o problema certo.

Seguindo este raciocínio o primeiro ponto é saber identificar o problema, é preciso pensar no problema e somente depois de analisá-lo e identificá-lo, partir para a tomada de decisão. Um exemplo disto se dá quando a organização começa a vender pouco e segue em baixa. Neste momento o líder acredita que o problema está nas condições físicas da empresa, então faz investimento pesado em móveis novos, melhores máquinas e equipamentos, investe no layout, propaganda e ainda faz um evento de reinauguração.

Nos primeiros meses as vendas aquecem e em seguida entram em novo declínio. Então vem a pergunta: Se todo investimento realizado não ajudou a mudar a perspectiva de futuro da organização, então, qual é o problema? O Treinamento de Gestão da Dale Carnegie fala de um método para identificar o real problema, trata-se de um processo simples denominado “método das perguntas”, ou seja, com papel e caneta, faz-se a primeira pergunta. Qual é o problema? Pensa no problema e escreve-o; em seguida pergunta: Quais são as causas do problema? Tão importante quanto identificar o problema certo é pensar o que está causando este infortúnio. Este é o fator crítico que deve mudar antes de qualquer outra coisa. Por exemplo, no caso referido acima, o fator crítico das baixas vendas era o mau atendimento e não a parte estrutural da empresa.

Depois de identificar o problema e a causa, atente para a seguinte pergunta: Quais são as possíveis soluções? Mais uma vez, lista-se o que vier à mente como soluções e somente após ter um bom número de possíveis soluções, é que vem última pergunta: Qual é a melhor solução? Neste momento você vai precisar ter critérios para que a solução encontrada possa ser implantada. No caso em exame, a melhor solução encontrada foi o treinamento das pessoas para um bom atendimento, postura organizacional e melhora de autoestima dos trabalhadores. O tema que comento trata-se de um caso real em que, após três meses de treinamento e implantação de uma nova cultura, as vendas melhoraram e a organização encontrou seu rumo para o sucesso. Quer saber mais sobre análise de problemas e tomada de decisão? Inscreve-se no Seminário ILA – www.ilabr.com.br

 

Fonte: Celso Moutinho

Link para site: www.ilabr.com.br

Deixe um comentário