Tecnologia, futuro e a subida da montanha-russa

j8jor4

“Dois jovens peixes estão nadando juntos e cruzam com um peixe mais velho, nadando em sentido contrário. Ele os cumprimenta e diz: ‘Bom dia meninos, como está a água?’. Os dois jovens peixes nadam mais um pouco, até que um deles olha para o outro e pergunta: ‘Que diabos é ~água~?’ ”. David Foster Wallace. Tecnologia, porque você deve aprender agora.

 

Essa metáfora foi feita por Wallace num discurso de graduação para exemplificar como, por estarmos sempre imersos nos problemas e no modo automático, não conseguimos enxergar a realidade da vida.

Vou emprestar essa brilhante metáfora para o mundo da tecnologia, onde a evolução tecnológica, principalmente dos últimos 30 anos, é a nossa água e boa parte das pessoas são os peixes jovens.

# Contexto das 3 Revoluções

Provavelmente várias pessoas tem algum nível de conhecimento sobre o assunto. Leem notícias, sabem sobre uma pesquisa-com-algum-tipo-de-robô-inteligente-em-algum-lugar-de-fora, gostam de usar o Waze e às vezes até ficam meio chocadas de como ele é esperto, ficam surpresas ao ver como o Facebook lhes ajudam a encontrar aquela turma do ensino fundamental que tinha sumido, etc. Mas todos esses fatos que chegam até você de maneira fragmentada e desconectados entre si fazem parte de algo que transformará completamente seu futuro.

Mas isso não é novidade para a raça humana. Grandes transformações e mudanças de Era já chacoalharam a vida do pessoal na história. Primeiro foi a revolução agrícola. Basicamente foi a transição do nomadismo para o sedentarismo, ou seja, as descobertas sobre plantação de alimentos foram um passo decisivo para o domínio da natureza e para o processo de fixação dos grupos humanos. Essa mudança levou milênios para acontecer de fato. Iniciou há cerca de 9 mil anos e foi acontecendo gradativamente ao redor do mundo (há 8 mil anos na Índia, há 7 mil anos na China, 6500 anos na Europa, etc.).

A outra grande mudança de Era que tivemos, segundo os historiadores, foi a revolução industrial impulsionada pela máquina a vapor, durante os séculos XVIII e XIX. Todas as áreas da sociedade foram completamente impactadas pelas novas tecnologias que surgiram ao decorrer desses dois séculos, desde o formato de educação direcionado a formar profissionais para as fábricas, até a migração da população rural para as cidades, criando enormes concentrações urbanas, fazendo com que as pessoas necessitassem se adequar aos novos padrões.

Por último, conhecida e vivenciada por todos, a revolução digital, que iniciou mais profundamente na década de 90 até os dias atuais. Essa revolução mudou praticamente todas as áreas da sociedade. O computador, os smartphones e a internet se tornaram ferramentas básicas para a vida de boa parte da população, mudando como nos comunicamos (em tempo real independente da distância), como compramos (e-commerce), nos transformou em geradores de mídias e não apenas consumidores e democratizou o acesso a informação.

Essas três grandes transformações tiveram impacto igualmente transformador na sociedade humana. Mas o ponto que eu quero chamar a atenção aqui, não são as mudanças em si, mas o intervalo de tempo em que elas aconteceram. Revolução agrícola alguns milênios, Revolução Industrial alguns séculos e Revolução Digital algumas décadas. E esse é ponto!

 
Lembra da aula de exponenciais do colégio?

Olhando esse processo de evolução tecnológica, fica muito claro que ela opera numa curva exponencial. Tudo sempre mudou, mas não nessa velocidade. Tudo está mudando mais aceleradamente.

E se somarmos as tecnologias descentralizadas baseadas em blockchain (bitcoin, ethereum), as impressoras 3D (que já imprimem casas em minutos, vários tipos de objetos e até comida), a computação em nuvem que democratizou o acesso a servidores, a popularização dos smartphones pelo mundo, a internet das coisas, podemos ter uma leve ideia do futuro para o qual estamos indo.

A Singularity University, um dos mais importantes programas de futurismo e inovação do mundo, criado pelo Google e pela NASA, acredita que nas próximas décadas haverá transformações profundas envolvendo Biotecnologia, Nanotecnologia e Inteligência Artificial, o qual me aprofundarei nesse artigo. Eles acreditam que essas mudanças acontecerão simultaneamente e serão novas mudanças de Eras, e ainda mais rápidas.


Ok, esse é aquele momento para se parar um minuto e pensar o que isso significa, pensar em todas as transformações pelas quais passamos nos últimos anos e imaginar como será nosso futuro com tudo isso. Eu pelo menos me sinto naquela subida da montanha-russa, que parece eterna. Eu sei o que me espera, sei que vai ser agitado e que não vai demorar, mas não consigo visualizar totalmente o cenário.

 
Apesar de parecer assustador, no fim sempre é divertido.

Uma revolução dessa magnitude não é um evento, embora nosso cérebro tente simplificar as coisas dessa maneira. É um processo contínuo que nós agrupamos assim para facilitar nossos estudos. Portanto, já é possível identificar hoje mesmo os embriões que evoluirão e se popularizarão, até o ponto de serem vistos como novas revoluções.

Inteligência Artificial e Robótica

Muito se fala sobre a tecnologia roubar os empregos dos humanos, desde a automação das fábricas, os softwares, os caixas eletrônicos, etc. Essa troca da mão de obra mais operacional e repetitiva, por máquinas já é bem conhecida. Porém agora estamos inaugurando um outro nível de automação e várias profissões onde se exige um alto grau intelectual já estão sendo impactadas. Vamos aos exemplos:

Jornalismo

 

Narrative Science é uma startup americana que criou uma inteligência artificial capaz de transformar dados em uma narrativa, escrita em linguagem natural. A tecnologia já está em uso pela Forbes que a utiliza para desenvolver matérias sobre resultados de empresas ou qualquer publicação similar, envolvendo apresentação de dados. Ontem mal tínhamos Internet, hoje temos inteligências artificiais criando artigos com a qualidade de um humano.

Marketing e Pesquisa

 
E se suas campanhas pudessem se otimizar sozinhas?

A Adgorithms é uma inteligência artificial capaz de otimizar as campanhas de marketing online. Ela consegue analisar o desempenho de cada campanha e fazer alterações a fim de otimizar os resultados, seja trocando uma frase, uma imagem, etc.

Design Gráfico

 

O The Grid é uma inteligência artificial que cria um website baseado numa série de parâmetros passados a ela. Sem templates, sem código, e o principal, exclusivo e personalizado para você. Parece difícil de acreditar, mas lembre-se que esse sentimento era o mesmo que muitas pessoas tinham a respeito de, por exemplo, o Waze, um sistema que te conduz pelas ruas desviando do trânsito, em tempo real.

Motoristas

 

Muita gente já conhece o carro autônomo do Google. Ele já andou mais de 1 milhão de Km pelas ruas da Califórnia e é incrivelmente eficiente. E o processo de regulamentação desse carro, nos EUA, já está mostrando muito avanço. Taxistas, caminhoneiros, motoristas particulares, motoristas UBER (sim, eles também), empresas de delivery, etc., todos sofrerão algum impacto dessa inovação. É tão evidente que muitas empresas já estão em estágio avançado de desenvolvimento de seus projetos de carros autônomos.

Advogados

 
Nós lemos na biblioteca. Watson na verdade lê A biblioteca

A IBM Watson provavelmente é a Inteligência Artificial mais famosa e falada do mundo. Ela venceu duas pessoas no jogo americano de perguntas e respostas Jeopardy, sem estar conectada à Internet. Ela tem uma capacidade de aprendizado incrível através de documentos não estruturados e comunica-se em linguagem humana natural. A IBM está com algumas vertentes dela para aplicações no mercado, e o ROSS é uma delas. O ROSS é o Watson otimizado para o mundo de Direito. “Você faz sua pergunta usando inglês normal e o ROSS lê todo o material legal e lhe retorna uma resposta e tópicos de leituras da legislação. jurisprudências e artigos”, segundo o site.

# Inovação: Quer aprender a de fato por a inovação na sua startup ou lançamento de produto?

Guia de Inovação


Todas essas transformações são incríveis, claro. Mas o mais incrível é o quão rápido elas chegarão até nós e mudarão como vivemos, trabalhamos e nos relacionamos. Afinal essas tecnologias tem intersecções entre si, uma influencia a outra, e ainda acompanham outras tecnologias disruptivas, como os óculos de realidade virtual e as impressoras 3D, ainda consequências da revolução digital.

Como tudo isso é muito novo, é muito difícil até para os futuristas mais brilhantes conseguirem medir o real impacto a longo prazo. No entanto, é muito claro que haverá mudanças profundas. E elas serão aceleradas.

# O que fazer para se preparar?

Se olharmos para o passado podemos identificar um padrão recorrente frente a mudanças: a negação. Provavelmente os agricultores que faziam tudo na enxada não acreditavam que máquinas fariam melhor. Os profissionais das indústrias nunca achariam que uma máquina teria a precisão cirúrgica para apertar aquele parafuso. Grandes cineastas nunca acreditariam que um filme poderia ser gravado usando iPhones. Então, o que fazer?

# Aprender tecnologia

Se nas próximas décadas, por algum motivo, o mundo fosse ficar totalmente submerso, você não cogitaria aprender a nadar? Estamos na mesma situação, porém todas as áreas que nos cercam serão influenciadas diretamente por máquinas e softwares inteligentes. Então ter um conhecimento básico de programação, se sentir a vontade criando com tecnologia, serão habilidades básicas num futuro próximo.

 

# Desenvolver sua habilidade de adaptação

 

Estudar inteligência emocional, adaptação a mudanças, aprender a ser autodidata e auto gerenciável. Ou seja, desenvolver um pouco seu lado empreendedor, não necessariamente para abrir uma empresa, mas para ser mais autônomo.

# Desenvolver habilidades humanas, como empatia e criatividade

Um robô poderá fazer qualquer atividade humana, até as mais complexas, mas ele nunca será um humano. Portanto. mesmo que um robô consiga simular que está sendo carinhoso, atencioso ou algo do tipo, um humano, com essas habilidades interpessoais bem desenvolvidas, saberá fazer melhor.

 
 

A melhor maneira de se aproveitar uma montanha russa é ter a certeza de que passaremos por turbulências, giros, frios na barriga, desconforto, mas no fim chegaremos sãos e salvos. E quem se permitir, apreciará momentos inesquecíveis. Diferente da montanha-russa, nós não temos a escolha de não entrarmos. Já estamos sentados na cadeira, com o cinto apertado e estamos naquela subida que parece interminável. Não sabemos ao certo o que acontecerá nem quando exatamente, mas sabemos que está muito perto. Apenas nos resta nos preparar para tudo e curtir.

ps. Se gostar, clica em Recomendo! =)

ps2. Quer dar o primeiro passo para aprender tecnologia? Baixe nosso guia completo e ilustrado para você criar seu site pessoal com blog, do zero e gratuito!


Texto do Parceiro: Jean Hensen – Fundador da Boot Tecnologia

Link para site: http://cursoboot.com/

Deixe um comentário