inspirese-com-6-mvps-minimo-produto-viavel-que-deram-certo.jpeg

O mínimo produto viável (MVP) é utilizado por diversos empreendedores por representar uma alternativa de baixo custo e resultados ágeis para validação de modelos de negócios inovadores. São diversas as maneiras de se realizar um bom MVP.

Para lhe inspirar escolhemos aqui 6 exemplos de MVPs de sucesso de algumas empresas famosas como Groupon, Dropbox e Facebook. Essas empresas começaram por meio desses modelos fáceis e hoje são gigantes do mercado. Confira a seguir:

Dropbox

Dropbox escolheu uma estratégia simples de validação: A landing page. A partir de uma página que explicava o modelo de negócios e um formulário para conseguir cadastros via emails, a plataforma adquiriu 75 mil cadastros em um dia.

O serviço era explicado através de um vídeo animado curto para ajudar na compreensão da ferramenta pelos visitantes. Com poucos recursos e antes de se desenvolver o software, a empresa adquiriu uma validação de mercado excelente que garantiria seu sucesso no futuro como um dos serviços mais famosos de compartilhamento de arquivos em nuvem.

Facebook

Mark Zuckerberg começou o Facebook com pouquíssimas funcionalidades. A primeira versão foi programada em cerca de um mês e não possuía sequer o famoso botão de “curtir”. Inicialmente era uma simples plataforma em que as pessoas adicionavam perfis simples e amigos.

Ao observar o sucesso e o aumento rápido do número de usuários, aos poucos a rede social expandiu suas aplicações e transformou-se no sucesso de hoje.

Groupon

A primeira versão do site do Groupon era bem rudimentar. Você basicamente entrava em um simples blog feito em WordPress e os cupons eram enviados por email manualmente pelos empreendedores que criaram o site.

Com pouquíssimos recursos e em pouco tempo foi possível avaliar a demanda das pessoas por promoções online. Hoje o Groupon tem millhões de usuários inscritos.

Easy Taxi

O Easy Taxi nem sempre foi um aplicativo. A primeira versão do serviço era por uma página com um formulário simplificado. O passageiro submetia o seu pedido de táxi através do site e os fundadores recebiam um email com o pedido. Assim que eram notificados eles mesmos ligavam para as cooperativas e pediam o táxi.

Com a demanda os criadores tiveram uma hipótese básica confirmada: As pessoas se interessavam por um serviço que pediria táxi por elas. Esse foi um dos vários testes da empresa: inicialmente eles haviam focado em fornecer o serviço às cooperativas pois esperavam maior interesse por parte delas.

Entretanto, essa hipótese era falha e decidiram mudar o foco do público alvo para os passageiros. Essa mudança de modelo de negócios rápida facilitou seu grande crescimento.

Guia de Inovação

Zappos

Antes de fundar uma das maiores lojas de sapatos online, Nick Swinmurn, da Zappos, publicou fotos de sapatos de lojas físicas na internet. Ao receber encomendas, Nick ia até a loja física e comprava alguns pares. Sem um sistema complexo ele conseguiu validar seu produto e adquirir aos poucos o capital inicial para desenvolver um website mais robusto. Em 2009 a Zappos foi adquirida pela Amazon por aproximadamente 1,2 bilhões de doláres

A principal vantagem do Mínimo Produto Viável

Em todos esses casos os produtos e serviços surgiram com pouco tempo de desenvolvimento, pouco investimento financeiro e com uma pequena equipe. Entretanto, todos atingiram aquilo que se propuseram de forma rápida e barata: testar a validade da ideia no mercado. Imagine no caso da Easy Taxi: Se eles tivessem desenvolvido um aplicativo robusto com meses de trabalho quanto demoraria até descobrirem que seus clientes eram passageiros e não cooperativas? Esse é o valor do Mínimo Produto Viável: Falhe rápido para alcançar o sucesso mais rápido ainda. 

Quer conhecer mais casos interessantes como esse? Dá uma olhada nesse texto: “Não sei escrever, mas virei empresário”.

 

Deixe um comentário