5 Práticas de Growth Hacking usadas nessa Eleição!

mpd

Se você é de um partido ou de outro isso não importa, growth hacking é nosso objetivo juntamente com a finalidade de mostrar pra você práticas contextualizadas!

Esse conceito que pode sim ser utilizado em startups para tracionar seus canais de comunicação trazendo mais usuários. Mas conseguimos ver isso em muitos outros âmbitos, como em campanhas politicas em período eleitoral por exemplo. Como estamos em período eleitoral, vamos contextualizar vocês com exemplos práticos de growth que estamos vendo hoje em dia. Vamos aos 4:

Viral

  • Um exemplo de estratégia viral aconteceu recentemente na campanha a prefeito do candidato do PSOL, Marcelo Freixo. Há três dias atrás, quem não percebeu uma enxurrada de avaliações positivas da página no facebook do Freixo? Quando uma pessoa avalia um perfil no facebook, todos os seus amigos que também seguem aquela página são notificados. Algum partidário percebeu e pronto, estava criado um movimento que culminou em mais de 40mil avaliações em pouquíssimos dias. Inclusive, essa foi a deixa para analisarmos outros casos e escrevermos essa coluna.
  • Ainda falando de Freixo, quem lembra da ultima eleição a prefeitura do Rio quando seus eleitores trocaram o sobrenome verdadeiro por Freixo nas redes sociais?

Obs.: vale ressaltar que essas duas estratégias utilizaram também outro canal de GH, plataformas existentes, no caso, o Facebook.

  • O prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), candidato à reeleição pela coligação “Pra Seguir em Frente”, foi o único dentre os candidatos da capital a aderir a campanha #NãoVaiTerColo. Para alertar os eleitores e engajar candidatos a se tornarem Prefeitos Amigos da Criança, a agência J. W. Thompson elaborou uma inteligente e bem humorada campanha de marketing chamada #NãoVaiTerColo. O tema faz referência aos candidatos que pegam crianças no colo durante suas campanhas eleitorais. Muitas vezes, essa é a única coisa que fazem por elas, depois de eleitos. Por isso, enquanto os candidatos não assinarem o compromisso com a saúde, educação e proteção das crianças, não vai ter colo! Algo simples que chama atenção!

Existing Plataforms

  • Em pelotas, o candidato a vereador Tiago Araújo utilizou o Tinder, aplicativo de paquera, para conseguir votos.
  • Sem capital, o Deputado Estadual Kelps, concorrendo em Natal, grava vídeos no seu celular e manda pelas redes. Utiliza das redes como forma de atrair público votante.

Unconventional PR

  • O jornalista Elson Araújo, candidato a vereador pelo PSDB, ganhou espaço na midia pela forma criativa como apresentava as suas propostas ao eleitor. Amante das letras, ele fazia os seus discursos de campanha por meio de versos e prosa. 

Publicity

  • Além de promover cursos preparatórios para os pré-candidatos, promovidos em parceria com o Instituto Teotônio Vilela (ITV), e produzir pelo menos quatro manuais com informações estratégicas para a montagem de suas campanhas, o PSDB vai disponibilizar um kit de campanha básico com material gráfico e até mesmo jingle para livre uso de seus candidatos, para contornar o período de crise. Uma forma diferente de pensar em publicidade por um partido.

SEM 

  •  Apesar de não ter dado certo, a campanha feita na pré-candidatura pela Martha Suplicy do PMDB usando faceads mostra que as campanhas politicas realmente estão considerando vários canais diferentes para atrair público. A Justiça Eleitoral condenou como atitude irregular.

 

Conclusão: Em todos os negócios, até mesmo em politica, você consegue fazer growth hacking para atingir seus objetivos. Basta entender, traçar estratégias e mensurar para pivotar! Assine nossa newsletter para receber esse e mais conteúdos exclusivos!

 

Nos vemos em breve!

Deixe um comentário